Vamos fazer uma lista. Let’s make a list.


….so I won't lose track of all the great series I've been watching that are on hiatus or ended. *sigh* (in no particular order):

  1. Game of Thrones
  2. The Walking Dead
  3. Orphan Black
  4. The Knick
  5. American Horror Story (one week hiatus)
  6. True Detective
  7. Fargo
  8. Breaking Bad
  9. Penny Dreadful
  10. Hemlock Grove
  11. Hannibal
  12. Sherlock
  13. Masters of Sex
  14. Under The Dome


Estados Unidos suspendem embargo contra Cuba


Ontem caiu o último Muro de Berlim. O presidente Barack Obama suspendeu o embargo de mais 50 anos contra a Cuba dos irmãos Castro.

Essa é provavelmente a notícia mais relevante desde a queda do Muro de Berlim de fato. Obrigada, Obama!

O fim do 'embargo' é ótimo para o Brasil e a direita Brasileira, pois com a economia cubana aberta ao mundo todo sem sanções, o governo Dilma e os petralhas acabarão por ficar sem desculpas para enviar bilhoes de reais à ilha dos irmãos Castro, seja para construir portos, seja para importar “mais médicos”. Aliás, esse pode ser o começo do fim do Mais Médicos, pois com os cidadãos cubanos obterão progressivamente mais liberdades civis, médico cubano algum vai querer ficar trabalhando nos cafundós do Brasil por uma merreca e aceitar o fato de que todo dinheiro de seu trabalho vai para o bolso dos Castro, enquanto a maioria dos cubanos vai readquirindo seu direito de manter no prpóprio bolso o dinheiro de seu trabalho. Com o fim do embargo, o programa Mais Médicos e o discurso petista que o sustenta se tornam argumentos 100% falhos, assim como qualquer ajuda financeira bilionária que PT queira dar à Cuba.

 

Adicionando mais à conjuntura: Fidel já está com um pé na cova, e Raul tambem não é jovem. A herdeira natural de Fidel, sua filha, fugiu de Cuba para os Estados Unidos há muito tempo. Ou seja, não ha nenhum outro herdeiro natural carismático e respeitável o suficiente para assumir o trono de Cuba quando os dois Castro morrerem. Aí sim, será o fim da ilha e ela voltará a ser exatamente como era antes da Revolução. O que será um final triste de história para a esquerda brasileira (não que a esquerda nã tentará distorcer a história, como sempre). Aí eu vou rir muito, e bem alto.



Interstellar


You can NEVER go wrong with Christopher Nolan! This is the best movie of 2014! And definitely one of my favorites of all time!

I can certainly say that if “2001: A Space Odissey” didn’t exist, “Interstellar” would never be. Yes, it drinks that much of Stanley Kubrick’s, and during certain sequences it looks almost like he’s plagiarizing Kubrick, or maybe it’s a homage, I don’t know. The main sequence towards the end kept reminding me of an iteration in Kurt Vonnegut‘s Slaughterhouse 5. Then very near the end, another scene straight from Kubrick. But don’t think that “Interstellar” is an artsy enigma like Kubrick’s “2001…”. Similarities with Kubrick notwithstanding, “Interstellar” is your typical Christopher Nolan trippy movie, à la “Inception”, with a twist in the end and all that jazz, and you are going to love it!



Breaking Music News


Radiohead’s Thom Yorke has just released a new album/EP online, namely Tomorrow’s Modern Boxes, being that you have the option to pay 6 bucks for it or legally download it for free at: https://bundles.bittorrent.com/bundles/tomorrowsmodernboxes

All legal material, no copyright infringement. Go ahead



Olha quem chegou!! Look who’s arrived!


Chegaram minhas duas tentativas de substitução para o “Diorskin Nude Shimmer Instant Illuminating Powder 001″ – mue pó iluminador favorito, sem o qual eu não vivo, mas que, infelizemente, a Dior tirou de linha.

Tentativa número 1: veio da própria Dior. Diorskin Nude Tan definitivamente não é a mesma coisa que o iluminador nude shimmer: não oferece a cobertura perolada tipo pó facial como o Nude Shimmer. É maravilhoso, e é iluminador. Ele adiciona particulas levemente douradas e dá brilho, mas serve para passar depois do pó facial, como finalização, para iluminar mesmo. Não dá cobertura ou disfarça defeitos. A embalagem é padrão Diorskin, um luxo, com envelope de veludo como sempre. É um produto ótimo e recomendo para finalização, mas não substitui o Nude Shimmer. Pode usar com qualquer base, vai apenas iluminar, não vai mudar a tonalidade da base.

 

Tentativa número 2: decidi criar coragem e testar as clássicas e famosas bolinhas coloridas da Guerlain. Li por aí gente dizendo que o Guerlain Meteorites é “um luxo, tem cheiro bom, mas não serve pra nada”. na realidade eu achei que o Pearl Météorites oferece sim boa cobertura a ponto de servir como pó, e não somente como iluminador, ao contrário do Diorskin Tan. As partículas brilhosas do Pearl Meteorites são bem menores, de tamanho mais uniforme e mais discretas e se espalham de um modo mais uniforme que as do Diorskin Tan. Cobriu bem as minhas sardas e defeitinhos. É um pó com cor, vai mudar a tonalidade da base que você estiver usando, portanto compre um Pearl Météorites de acordo com o seu tom de pele e base que geralmente usa, pois se comprar o muito claro, seu rosto fica branco. A embalagem é tão linda que acho que vou usar de caixinha de jóias quando acabar. Dito tudo isso, nenhum desses dois produtos substitui o Diorskin Nude Shimmer Instant Illuminating Poweder 001, e eu vou sentir falta desse produto para sempre!!

 

 



Let’s talk nail polish.


Minha pequena coleção de esmaltes da Granado. Eu amo os esmaltes da Granado porque não tem tolueno e tem ótimo brilho, cobertura e durabilidade (e olha que eu lavo a mão de 5/5 min no trabalho). Minha cor favorita é a de meio (Ingrid), um nude que, não por coincidência, também é minha cor favorita de esmalte em absoluto. Já estou no segundo frasco. Ingrid é o nude perfeito. Durante o dia ele deixa as unhas com aspecto discreto, profissional e bonito, e, à noite, apesar de 'nude' ele deixa o visú muito chique, é um curinga que vai bem com qualquer coisa. Se um dia a Granado descontinuar o Ingrid, eu piro!

Como se pode perceber pela imagem, eu prefiro cores clássicas (detesto essas cores 'fashion' tipo azul caneta, etc). A primeira cor, Nina, é um marrom café super elegante como justíssima homenagem a Nina Simone. O segundo esmalte é um vermelho clássico, Aretha (Franklin, cantora). O terceiro é meu amado nude Ingrid (Bergmann). As duas últimas cores são clarinhos clássicos e básicos – a quarta cor é Cecilia, um violeta puxado pro branquinho e meio translúcido, precisa duas camadas generosas se você quiser que se perceba a cor. E o quinto e último esmalte é o Grace (Kelly), um rosa clarinho e básico, discretamente perolado, mas que apesar de básico é bem glamuroso.

*****

Abaixo vão alguns esmaltes da Bourjois. Escrevo por um motivo específico sobre estes: li em vários blogs e sites pessoas reclamando que os esmaltes da linha “1 Seconde” não secam em um segundo, como sugere o nome. No entanto há uma má interpretação do nome da linha de esmaltes. Ele se chama '1 Seconde' porque o pincel é mais largo, de forma a cobrir praticamente toda sua unha com apenas uma pincelada, e ele é altamente pigmentado, de forma a dispensar duas camadas (claro, isso também varia com o gosto individual, mas não precisa mesmo), ou seja, com uma pincelada você pinta uma unha (uma unha por segundo, “1 Seconde”). De fato faz o que promete. Não achei muito durável, descasca logo.

O terceiro esmalte da Bourjois é da linha “So Laque” e tem alto brilho e alta durabilidade. Recomendo.

Quanto às cores dos esmaltes da foto, recomendo todas (o vermelho é bem vibrante) exceto pela cor do meio, chamada “Figo Chique”. Não fica um lilás legal, não é figo, e não fica chique. Parece unha de gente com insuficiência respiratória. Por favor, evitem esta cor.

 

 



Projeto do Domingo


Jogo Americano (placemats) de formiguinhas.

Aproveitei para fazer um testezinho do visual de alguns dos pontos decorativos. Meu menos favorito é o quarto ponto de cima para baixo. Adorei todos os outros. O terceiro ponto de cima para baixo com certeza aparece bem mais e fica bem mais bonito em um tecido liso.

 



I’m having fun.


This apron is my sewing project of the day. I confess I'm having much more fun with sewing than I thought. :)

 



Meu novo brinquedinho


Quem diria, eu costurando… Mas o mundo dá voltas. Decidi consertar minhas próprias roupas, e comprei uma máquina de costura, que para mim sempre havia sido um bicho de sete cabeças. Depois de muito pesquisar na internet, com dicas de blogueiras prendadas e vídeos do YouTube, decidi tentar e acabei me dando de presente uma Singer Tradition 2259.

 

Eis a criança:

E o mais inesperado é que eu peguei gosto pela coisa. Comecei a fazer coisinhas simples para treinar (afinal eu quero é consertar minhas roupas, e não piorá-las), e o resultado foram coisas simplesinhas mas bonitinhas, vejam só:

 

Acima um envelope para bolsa de água quente.

Abaixo, meu primeiro projeto de costura, uma capa de almofada!

Até que não ficou mal, não é?

 

 



Mas a Copa estava comprada… só que não!


Mas não é que eu estava errada… e o Brasil acabou eliminado da Copa por inacreditáveis, humilhantes 7×1!!? E caso ainda restasse dúvida de que nada foi comprado, perderam também o jogo de hoje contra a Holanda por 3×0!
Eu confesso que depois daquela derrota homérica passei a torcer para a Holanda. Hoje sequer assisti ao jogo, já dediquei tempo demais assistindo esta Seleção canarinho amadora. A Holanda merecia estar na final junto com a Alemanha. Jogam muito futebol, já chegaram à final várias vezes mas nunca venceram, tem uma história incrível, eles mereciam vencer!! Mas, tristemente o mundo é injusto, e amanhã assistiremos à Argentina x Alemanha. Isso significa que amanhã tudo aqui é vermelho, amarelo e preto! Que os “hermanos” trogloditas voltem sem taça para casa!

Em vez de assistir o jogo de hoje, fui ver “O Teorema Zero” do Terry Gilliam no cinema com a família. Valeu a pena. É um filme típico do Terry Gilliam, lembra muito “Brazil” (o filme), no que apresenta protagonistas não-convencionais, se passa no futuro mas as tecnologias são meio anacrônicas (computadores e afins são grandes máquinas barulhentas, cheias de tubos, engrenagens, luzes piscando, os telefones antigos como os do século 19). Tanto o protagonista de “Brazil” quanto o de “O Teorema Zero” estão em um romance peculiar e complicado, e o final é bastante aberto à interpretações nos dois casos. Mas “Brazil” tem um tom mais épico, grandioso e quixotesco, enquanto “O Teorema Zero” é mais introspectivo.
DSC_1028