Reportagem da Super sobre a Bíblia “Sagrada”.


Esse mês a reportagem de capa da Super Interessante (que jé deixou de ser interessante há muito tempo) é sobre “A Bíblia como você nunca leu.”
Sou agnóstica, ponto. Claro que eu não esperava que a reportagem fosse uma ode ateísta, porém esperava mais, mesmo assim gostei, pois traz a tona a discussão racional num país ignorante por vontade própria e onde a podridão evangélica fede mais a cada dia que passa.
A reportagem é uma releitura do aspecto histórico-cultural hebraico da biblía, e não um libelo anti-teísta, mas ainda acho que serve para o propósito de mostrar o que a bíblia realmente e literalmente é: uma compilação de textos pseudoepigráficos que revela hábitos sócio-culturais e crenças dos habitantes DAQUELA REGIÃO, NAQUELA ÉPOCA, e que NADA tem de profético ou messiânico, e que JAMAIS foi escrita ou compilada com tal propósito, sendo portanto as religiões cristãs o resultado de um crasso e absoluto problema de má interpretação de texto. Se fosse hoje em dia, a pessoa que inventou o cristianismo ganharia nota zero na prova de interpretação de texto por tangenciar o tema e ver muito além do que o texto quer dizer.”


No Comments, Comment or Ping

Skip to toolbar